Saturday, March 24, 2018

dois romances



Menção Honrosa na primeira edição do Prémio Fundação Eça de Queiroz - Portugal - em 2015.- As filhas de Manuela - Triunfal - 2017 - '149 páginas - Capa - Fotografia de Felix Nadar - Realismo Mágico.

Não o convidei ao meu corpo - Romance - Autoficção - 174 páginas - Editora Kazuá - 2018.


Os meus dois romances podem ser teus por 55,00.
Por que 55,00?
Eu nasci em 1955.


Caso queira comprá-los isoladamente.
As filhas de Manuela - R$.30,00 + r$.6,00 correios
Não o convidei ao meu corpo R$.44,00 + R$.6,00 correios

contato: barbaralia@gmail.com

Wednesday, March 21, 2018

Mês da Mulher na BPP




link para o vídeo:

https://www.facebook.com/bibliotecapr/videos/2114248485259888/

Mês da Mulher na BPP: "Doce como o massacre de sóis", poema deBarbara Lia, na interpretação da atriz Kellyn Bethania.

Monday, March 19, 2018

Algumas imagens da comemoração da publicação de "Não o convidei ao meu corpo"


com Luciana Cañete





com Mari Quarentei

minha irmã Fá, o Luciano e a Gi em Sampa - Kazuá


 Com os poetas Márcio Claucino, Rodrigo Madeira, Luciana Cañete e a pequenina Maria Cecília 


com a poeta Jane Bodnar


com meu neto Arthur



com meus filhos Tahiana (Laura ao colo) Thomas com sua namorada Carol


Com Eliana Rizzini


com Homero Gomes e Jane Bodnar

Tuesday, March 13, 2018

Pense em um livro lindo...












Não o convidei ao meu corpo
Bárbara Lia
Romance
Editora Kazuá
174 páginas

contato: barbaralia@gmail.com

Thursday, March 08, 2018

"Não o convidei ao meu corpo" - Lançamento Curitiba - 17/03


Não o convidei ao meu corpo
Romance

Prefácio - Luciana Cañete
Traz textos de Ana Lúcia Vasconcelos Maria Alice Bragança e Leonardo Paiva.
Projeto gráfico - Evandro Rohden e Thiene Magalhães

O livro é todo ilustrado - 19 telas de Paul Klee, em um diálogo com o grande artista. Prosa poética, a narrativa dá espaço para alguns poemas - meus, de Paul Klee e do poeta norte-americano Mark O'Brien.
fragmento da orelha do livro:

"Escrito com sangue, o romance de Bárbara Lia é um soco no estomago do leitor que passa a ser cúmplice da dor de Lily ao sentir em seu corpo os estilhaços que saltam da escrita ardente e apaixonada, marcando com ferro em brasa nossos corpos e mentes."
Ana Lúcia Vasconcelos

**Na Livraria do Paço não é permitido o consumo de bebida alcoólicA**

Saturday, March 03, 2018

Não o convidei ao meu corpo




Dia 09/03 meu romance "Não o convidei ao meu corpo" faz a festa em Sampa, no Espaço Cultural da Kazuá. Rua Ana Cintra, 26 - Santa Cecília. O lançamento oficial é a partir das 18 horas. Quem estiver em São Paulo está super convidado a ir até lá. No dia 17/03 o lançamento será em Curitiba, na Livraria do Paço da Liberdade, Praça Generoso Marques, a partir das 14 horas. 
Caso alguém deseje o livro com dedicatória, eu tenho uma cota, ela já pode ser comercializada. Quem desejar adquirir um exemplar, entrar em contato com meu e-mail barbaralia@gmail.com.
O livro também estará à venda na Editora Kazuá e também Livraria Cultura.
O livro custa R$.44,00 - mais valor da remessa pelos correios.


"Não o convidei ao meu corpo" 
Bárbara Lia
174 páginas
Romance autoficção
Editora Kazuá
Ilustrado com 19 telas de Paul Klee em um lindo
projeto gráfico da equipe de criação da Kazuá.


Sobre o livro:



Unindo artes visuais, memória e invenção, Bárbara Lia faz dessa autobiografia
ficcional uma delicada e deliciosa narrativa, onde a superação da dor, a busca
do amor e a trajetória da escritora, da descoberta das primeiras letras à edição
de suas obras, mergulham-nos em momentos de encantamento. 
(Maria Alice Bragança – poeta e jornalista)

Lily se parece com Frida, Lily se parece comigo e com tantas mulheres que aceitam
o destino de não aceitar. Que se incomodam ao invés de se acomodar e vão construindo
trilhas entre escombros. Lily não é heroína nem pretende, é pura vida e sensibilidade
buscando uma forma de existir num mundo não tão pronto pra ela.
 (Luciana Cañete – poeta e professora de Espanhol)

Thursday, March 01, 2018

Per Timmy, che amiamo



Eliliver




Tasted love's flesh
Like who devours
A paradise fruit
(Pansexual these free men)

In a time hold
Opening curtains and mornings
Dancing in the courtyard of joy


The one step away from the heart
Of the cosmos
And two meters from raw eternity


Ah! I wish to steal every scene
And light fly like two boys
Ripping Italy with their bikes


To draw the lips of the statue
On Lake Garda
Like who touches
-      the incredible Elio -
Solar picture of charisma and music


The ancient lake
The young lover
The primal air


(There will always be a summer.
With peach taste

& Bach & books)



***



Eliliver




Provei a carne do amor
Como quem devora
A fruta do paraíso
(pansexual esses homens livres)


Em uma espera cronometrada
Abrindo cortinas e manhãs
Dançando no pátio da alegria


A um passo do coração
Do cosmo
E dois metros da eternidade crua


Ah! Eu quero roubar todas as cenas
Voar como dois garotos
Rasgando a Itália com suas bicicletas


Desenhar os lábios da estátua
No Lago de Garda
Como quem toca - o incrível Elio -
Imagem solar de carisma e música


O antigo lago
O jovem amante
O ar primal


(Sempre haverá um verão
Com sabor de pêssego
& Bach & livros)



Bárbara Lia

pêssego e livro - fotografia da autora





(poesia inspirada na performance de Timotheé Chalamet em "Call me by your name")



Call me by your name - Filme baseado na novela de Andre Aciman, roteiro de James Ivory. Direção de Luca Guadagnino, com Thimotée Chalamet, Armie Hammer, Amira Casar, Ester Garrel e Michael Stuhbarg. Uma produção - França, Itália, EUA, Brasil.












Wednesday, February 28, 2018

"Não o convidei ao meu corpo" - Romance - Bárbara Lia - Lançamento dia 09/03 - Sampa




"Não o convidei ao meu corpo"
Bárbara Lia
 - Romance - Autoficção -
 174 páginas 
Projeto Gráfico - Evandro Rohden e Thiene Magalhães
Prefácio da poeta Luciana Cañete
O livro é sobre transformar dor em Arte
Ilustrado com 19 telas de Paul Klee.


Texto de Maria Alice Bragança (orelha do livro):

Um primeiro desafio criativo nos é dado a todos: inventar e construir a própria vida, sem aceitar roteiros ou limites preestabelecidos. Viver é uma arte... E a memória é um imbricado terreno de fatos, ficção e fantasia. A literatura nos permite editar trechos do vivido (ou fantasiado) e conduzir os sentidos, bem como ter o controle do final da narrativa, o que a realidade não nos permite. Unindo artes visuais, memória e invenção, Bárbara Lia faz dessa autobiografia ficcional uma delicada e deliciosa narrativa, onde a superação da dor, a busca do amor e a trajetória da escritora, da descoberta das primeiras letras à edição de suas obras, mergulham-nos em momentos de encantamento.
 Maria Alice Bragança

Buffet de Poesia







Compre seu Buffet de Poesia pela internet.
Acesse o álbum "CARDÁPIO" (link abaixo), em fotos e escolha os poemas de seu Buffet de Poesia.
Multiplique a quantidade de páginas por R$ 0,70,
Acrescente R$ 1,50, da capa, se desejá-la;
Mais despesa de correio (Para o Brasil, até 10 páginas, R$ 2,10; acima de 10, R$ 3,00).

Transfira ou deposite o valor obtido em uma das contas:
Nº 100023485-0, ag. 3017, Caixa Econômica Federal (104);
Nº 101986-4, ag. 3613-7, Banco do Brasil (001),
Em nome de Carlos Alberto Fernandes de Barros
CPF: 061.978.924-72

Envie mensagem "in box" no Facebook, ou para "buffetdepoesia@gmail.com", com a relação dos poemas escolhidos, cópia do depósito e endereço para remessa e nome do destinatário.
O Buffet de Poesia escolhido será entregue pelos Correios, no Brasil, em até 15 dias úteis.
Remessa para fora do Brasil, consulte.


Link para o álbum do Facebook - Cardápio:

Sunday, February 11, 2018

Meu encontro com Jamil

Eu tinha certeza que o taxista era Jamil Snege. Tarde de verão e o agito da cidade antes do carnaval. Você está em uma rua qualquer do Centro da cidade, você vai outra tua qualquer e você precisa ir de táxi, ainda que perto, ainda que ninguém entenda. O pé dói. Ponto final. O trajeto curto demais torna tudo mais surreal. Quero perguntar algo e temo que quebre o encanto. A camisa é tal qual aquela da única vez que o vi, saindo com um amigo da Livraria Ghignone, fumando um cigarro, a outra mão no bolso. Lembro que estanquei o passo em plena Rua das Flores e pensei: é o escritor. Fiquei com aquela imagem, com aquela vontade de não ser tão tímida, de atravessar metade da rua, falar com ele. Mas ele seguiu conversando e eu segui minha vida. Não demorou muito para saber de sua morte. Agora eu tinha certeza que era o Jamil Snege ali a me conduzir, com a mesma roupa, a mesma silhueta calma. Tive medo que ele começasse a praguejar contra o Lula ou falar de religião, como fazem os taxistas. Implorava aos céus que ele não quebrasse o encanto e me fizesse crer que nas tardes de verão Jamil Snege desce à terra e conduz, de forma invisível, os escritores invisíveis da sua Curitiba. "Como tornar-se invisível em Curitiba?" - Snege sabia. Para minha alegria e êxtase ele diz apenas: o sol está mais quente hoje. Sim, tudo está mais hoje, para minha alegria eu pude manter aquela fantasia. Quase disse a ele sobre sua célebre dedução que - para tornar-se invisível em Curitiba basta ter talento - quase disse: nada mudou... Mas, apenas desci e o vi desaparecer, a camisa azul clara, os cabelos brancos e esta certeza de que a magia existe, a gente a encontra ali, na próxima esquina, ao acenar para um táxi.

Bárbara Lia no verão de 2018

Thursday, February 01, 2018

Não o convidei ao meu corpo - Bárbara Lia





Não o convidei ao meu corpo
Bárbara Lia
Romance - Autoficção
174 páginas
Editora Kazuá
Projeto Gráfico: Evandro Rohden e Thiene Magalhães
Arte da Capa e Miolo: Telas de Paul Klee e Projeto Gráfico da Kazuá inspirado na Street Art reproduzindo telas de Klee. Um luxo!


Prefácio, orelhas e contracapa: Luciana Cañete, Leonardo Paiva, Maria Alice Bragança e Ana Lúcia Vasconcelos. Foi como se um maestro (Espírito da Arte?) ordenasse que a partitura assim fosse. É destas pessoas mui caras para mim o som das palavras que cantam (e contam) sobre Lily Elm. O que afinal diz "Não o convidei ao meu corpo"? O que Lily tem a comunicar com seu espírito livre? Quem é Lily? 
No prefácio a poeta Luciana Cañete escreveu: 
"Lily se parece com Frida, Lily se parece comigo e com tantas mulheres que aceitam o destino de não aceitar. Que se incomodam ao invés de se acomodar e vão construindo trilhas entre escombros." 


Projeto gráfico belíssimo da equipe da Kazuá (Evandro Rohden e Ticiane Magalhães), a partir de 19 telas de Paul Klee, que escolhi enquanto ia tecendo as narrativas. Eles embarcaram nesta nave misteriosa e bela da criação para compor uma obra de arte que enleia Artes Plásticas e Literatura.

fragmento - página 08:


"Ignorei por décadas o visitante obscuro. Eu perseguia tudo que tinha luz bastante para obliterar a negra presença. Foi tão grande o desprezo que dispensei ao intruso que esqueci que me habitava. Quem dera passar pela vida sem notar sua presença, ignorando cem por cento sua audácia pútrida. Tivesse morrido aos quarenta e sete anos, qual Frida Kahlo, eu teria conseguido. Foi algum tempo depois de ter completado meio século que ele começou a se fazer notar de forma intermitente. Nunca parei para meditar sobre nossa convivência e agora não posso mais ignorá-la. Devo confrontar os esgazeados olhos negros e o passo lerdo de fantasma antigo."



Lançamento - final de fevereiro - breve mais informações sobre datas de lançamento e Livrarias para adquirir a obra - mais informações no site Kazuá ou comigo pelo e-mail - barbaralia@gmail.com

Link para o site:

Thursday, January 11, 2018

As filhas de Manuela - Romance - 2017


Menção Honrosa no Prémio Fundação Eça de Queiroz - Portugal 2015.